Um Copo de Cólera – Raduan Nassar

Sinopse: “O corpo antes da roupa”, afirma o personagem de Um copo de cólera ao narrar o que acontece numa manhã qualquer, depois de uma noite de amor, quando a aparente harmonia entre ele e sua parceira se rompe de repente. Por um motivo banal (aparentemente), os dois se atracam num rude bate-boca, as paixões afloram, um palco se ilumina, e aqueles personagens ressurgem de manhã fazendo o mesmo que fizeram à noite: voltam, de certo modo, a tirar a roupa do corpo.

Nacionalidade do autor: 
Ano da publicação do texto: 1978

Sobre a forma, o livro é curto, mas relativamente denso. Não me incomodei em nada com a escrita sem pontos finais, já que um dos meus escritores favoritos, Saramago, também não é lá muito ortodoxo nesse sentido. Até acho que é um ponto positivo, já que dá uma fluência e uma dinâmica grande no fluxo de pensamento dos personagens.

A história começa com um casal fazendo amor e, na manhã seguinte, o sujeito se enfurece com as formigas que comem a cerca-viva do seu jardim. Ele sai chingando tudo quanto é coisa e a mulher (jornalista) toma as dores dos empregados, repreendendo a forma bruta com que o sujeito se expressa. Nisso, começam a entrar na discussão as visões de sociedade conflitantes entre os dois, rolando algumas metáforas com o tempo em que a obra foi escrita.

Tudo isso é bem interessante, mas certamente não faz meu estilo. O que me incomodou nesse livro é que, para mim, a escrita mais lírica e rebuscada com que o personagem-narrador expressa suas ideias não condiz muito com o modo com que uma pessoa pensaria/falaria nessa situação, o que acaba por me soar um texto poético, porém artificial e cansativo. Embora a literatura se permita lançar mão justamente desse estilo mais “complexo” de texto, isso só me agrada quando vejo um sentido para aplicar essa forma aos personagens. Na obra, os personagens acabam sendo apenas uma alegoria para expor ideias conflitantes. Nesse caso, o que importa para o autor, é mais ressaltar a discussão de ideias do que desenvolver uma trama ou a fazer uma caracterização mais pormenorizada dos personagens. Essa escolha, para o meu gosto, é como beber de um copo meio cheio ou meio vazio, que, ao mesmo tempo, mata a sede com algumas frases marcantes, mas não me satisfaz completamente como leitor.

Classificação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s