O Gigante Enterrado – Kazuo Ishiguro

O Gigante Enterrado

Sinopse: Uma terra marcada por guerras recentes e amaldiçoada por uma misteriosa névoa do esquecimento. Uma população desnorteada diante de ameaças múltiplas. Um casal que parte numa jornada em busca do filho e no caminho terá seu amor posto à prova – será nosso sentimento forte o bastante quando já não há reminiscências da história que nos une? Épico arturiano, o primeiro romance de Kazuo Ishiguro em uma década envereda pela fantasia e se aproxima do universo de George R. R. Martin e Tolkien, comprovando a capacidade do autor de se reinventar a cada obra. Entre a aventura fantástica e o lirismo, “O gigante enterrado” fala de alguns dos temas mais caros à humanidade: o amor, a guerra e a memória.

Nacionalidade do autor: 
Ano da publicação do texto: 2015

O Gigante Enterrado é uma história que se passa poucos anos após o apogeu do Rei Arthur, num mundo onde bretões e saxões vivem em uma razoável harmonia. Os protagonistas são um casal idoso de bretões apaixonados, Axl e Beatrice, que decidem sair em uma jornada para encontrar seu filho, que mora em uma aldeia distante a alguns dias de caminhada. Essa é uma jornada que Beatrice sempre quis fazer, mas que foi postergada por Axl.

Envolto em um mundo místico onde ogros, fadas, dragões, guerreiros e cavaleiros se fazem presentes, o leitor não deve esperar grandes suspenses ou cenas de ação. O foco da narrativa é sobre o relacionamento entre Axl e Beatrice, bem como sua jornada em busca do reencontro com o filho e os personagens com quem interagem ao longo do caminho. Além disso, o grande mistério do livro é a névoa que envolve o lugar e faz com que as pessoas esqueçam grande parte de suas lembranças. A névoa não permite aos protagonistas lembrarem quem eles realmente são, como se conheceram ou mesmo se tiveram de fato um filho. A jornada deles, então, se torna também uma busca pelas memórias do passado e uma tentativa de desvendar o mistério do que causa esse esquecimento nas pessoas.

No entanto, uma dúvida permeia a mente dos personagens desse universo: será que, em certa medida, o esquecimento dos acontecimentos negativos não compensa o fato de não ser possível se lembrar de quase nada do passado? Será que é possível viver com qualquer tipo de dor? Estaríamos sempre dispostos a recuperar, a qualquer custo, as lembranças, sejam elas boas ou ruins? Ou será que faríamos de tudo para não nos lembrarmos de grandes tragédias e decepções?

Seja qual for a resposta, a única certeza é que, após ler esse livro, a lembrança que você terá será de uma bela história, e não haverá nenhuma névoa para tirar isso de você.

Classificação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s