Clímax – Chuck Palahniuk

Sinopse: O mesmo autor de Clube da Luta apresenta um retrato afiado do feminismo, do prazer sexual e do apocalipse do marketing em uma nova narrativa sobre as psiques desconjuntadas de homens e mulheres contemporâneos. Penny Harrigan é uma jovem recém-formada em Direito que trabalha no maior escritório de advocacia de Manhattan. Vinda do meio-oeste, ela mora em um apartamentinho no Queens com duas colegas e há tempos não tem nem sinal de vida amorosa. Por isso, imagine o choque que leva quando C. Linus Maxwell – ou “ClíMax”, o megabilionário famoso por casos com as mulheres mais lindas e cobiçadas do planeta – a convida para jantar? Pois ele não só a leva ao restaurante mais badalado de Nova York, como também a uma cobertura em Paris onde, caderneta à mão, começa a conduzi-la por dias e dias de ápices insonháveis de prazer orgásmico. Vai reclamar? Sim: Penny descobre que é a cobaia na etapa final de pesquisa e desenvolvimento da Beautiful You, uma linha de apetrechos sexuais que serão vendidos às mulheres do mundo todo numa cadeia multinacional de lojas. Milhões de mulheres fazem fila para abastecer-se do catálogo de aparelhinhos, tão potentes e eficazes que, por todo o globo, elas chegam em casa, trancam-se no quarto e não saem mais – a não ser quando precisam de pilhas. Alguém precisa deter o plano de Maxwell de dominar o mundo usando o prazer erótico. Mas como?

Nacionalidade do autor: 
Ano da publicação do texto: 2014

De antemão, ressalto que a melhor forma de começar a ler esse livro é não lendo a sinopse. Por ser um livro curto, grande parte do que está escrito na sinopse já é responsável por pelo menos metade do livro, o que tira uma boa dose de expectativa da narrativa. Costumo ler a sinopse dos livros, mas, para minha sorte, li esse “Clímax” sem ter feito isso de antemão, e acho que ir descobrindo os desenrolares da história aos poucos ajudou a elevar um pouco minha percepção de uma história que para mim foi divertida, mas não chega a ser excepcional.

Para se ter uma ideia, a abertura do livro é instigante e nos atiça a curiosidade para saber o que está acontecendo: “Enquanto Penny era violentada, o juiz simplesmente observava. O júri recuou horrorizado. Os jornalistas se encolheram na tribuna. Ninguém no tribunal se apresentou em sua defesa. (…) Teria sido diferente se houvesse outras mulheres no tribunal. Mas não havia. Todas as mulheres tinham sumido do mapa nos últimos meses.”.

O que o leitor deve ter em mente é que acompanhamos a vida de Penny, uma jovem vinda do interior dos EUA que está tentando passar na ordem dos advogados e subir na vida em New York. No entanto, seu dia-a-dia muda radicalmente ao conhecer C. Linus Maxwell, um bilionário da indústria de tecnologia. O desenrolar dessa relação terá consequências não muito esperadas por Penny, e a trama segue pelo caminho da ficção científica, no sentido de que vai apresentando ao leitor a formação de uma sociedade ocidental (pelo menos uma parte dela) mais hedonísta do que já é.

É justamente essa reflexão sobre o quanto a busca do prazer e dos vícios que guiam a conduta do ser humano que tecem a linha condutora da história. Questões sobre a libertação e independência sexual feminina também acabam por ser a base da proposta de uma nova sociedade, enfrentando normas e convenções mais tradicionais. No entanto, no mundo de Palahniuk, tudo é levado ao extremo, o que nos faz pensar até que ponto a busca do prazer e a exaltação do individualismo é a melhor opção para se construir uma sociedade.

Embora essas reflexões sejam bem interessantes, o livro não chega a contar uma história indispensável para quem gosta de ficção científica misturada com um elevado grau de erotismo. Uma recomendação de um livro sobre o tema do vício e da busca de prazer é “Graça Infinita”, de David Foster Wallace, um livro absolutamente sublime, embora muito mais pesado e longo do que “Clímax”. Mas, se você pretende embarcar em uma missão mais rápida de leitura que apresente esses elementos descritos acima, talvez “Clímax” seja uma boa opção de divertimento.

Classificação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s