A Máquina do Tempo – H. G. Wells

Sinopse:H.G. Wells cria a fabulosa jornada de um cientista inglês a um mundo futuro, desconhecido e perigoso. Acompanhamos suas descobertas, seu deslumbramento e o horror que, aos olhos do viajante, aos poucos se anuncia

Nacionalidade do autor: 
Ano da publicação do texto: 1895

A Máquina do Tempo é, provavelmente, o maior clássico da literatura de ficção científica. Praticamente tudo o que se estabeleceu dentro da linguagem desse gênero teve forte influência dessa obra de H. G. Wells. Nela, acompanhamos um protagonista que recebe simplesmente a alcunha de O Viajante no Tempo. Certo dia, ele reúne em sua casa uma série de convidados ecléticos e com certo grau de instrução – um editor, um médico, um psicólogo, entre outros – e passa a discutir com eles a possibilidade de viajar no tempo, estabelecendo a premissa de que não existe diferença entre o Tempo e as três dimensões do Espaço, exceto pelo fato de que nossa consciência se desloca ao longo desse Espaço. Passando da teoria à prática, o nosso protagonista constrói uma engenhoca – com direito a alavancas e tudo mais – que lhe permite, de fato, viajar no tempo. Como resultado disso, ele vai parar em um futuro bem distante: o ano 802.701 da Era Cristã.

O mundo do futuro é um tanto quanto diferente, embora, ao contrário do que se possa imaginar antes da leitura, não seja um mundo povoado por máquinas, robôs, construções e tecnologias totalmente incompreensíveis. Wells trata de nos colocar em um ambiente muito peculiar, onde a paisagem inglesa foi transformada em um lugar dominado por gramados, bosques, algumas ruínas e grandes edifícios de proporções de palácios, sem casas à vista. Ao observar isso, o Viajante logo pensa consigo mesmo: “Comunismo”.

Esse ambiente é habitado por seres pequeninos, com rosto sem pelos, cabelos curtos, olhos grandes e um tipo de beleza que lembra a porcelana, sem grandes diferenças físicas aparentes entre os sexos. Desde o início, o Viajante passa a tentar se comunicar com esses homenzinhos do futuro e estabelecer logo uma relação com eles. Percebendo que não há uma recepção hostil, o protagonista decide explorar esse novo mundo e essa curiosa sociedade. Contudo, a determinada altura, percebe que sua máquina do tempo sumiu, de modo que se vê ameaçado a nunca mais voltar para casa. Com o objetivo de reaver a máquina, passa a explorar cada vez mais o lugar, tentando descobrir seu paradeiro. É nesse interim que descobre também que há uma ameaça que habita o subterrâneo desse lugar, impondo obstáculos à sua missão.

Pode-se dizer que A Máquina do Tempo é um livro até surpreendente se considerarmos sua idade e seu estilo narrativo curto e direto. Para além do poder imaginativo que esse tipo de literatura foi capaz de despertar em seus primeiros leitores, ainda é um marco que perdurou e ainda perdurará por mais alguns séculos. Sem dúvida nenhuma, em adição às discussões sobre a física da viagem no tempo, o grande destaque da obra são as reflexões do Viajante sobre os rumos que foram tomados pela humanidade, apresentando alguns pensamentos interessantes sobre toda a organização social, como o papel do Estado, da família e as diferenças entre homens e mulheres. Ainda assim, o ponto negativo do livro é que essas reflexões poderiam ser ainda mais presentes e trabalhadas do que já são, contribuindo também para a construção de personagens mais marcantes. Quando o livro termina, não sobra ao leitor uma grande empatia construída em relação ao protagonista e nem aos demais personagens da trama, ou ainda aquela sensação de saudade que surge instantaneamente ao término de um grande romance. Mesmo assim, é um livro rápido e essencial para todos aqueles que têm algum interesse no gênero e que querem conhecer suas raízes mais profundas. Vale a pena fazer essa pequena viagem literária no tempo e nem mesmo corremos grandes riscos de não voltarmos mais para casa.

CLASSIFICAÇÃO:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s